Hakuna Matata... Não há problemas!! =D Aproxima-se uma das épocas mais bonitas do ano... O Natal! Desejo-vos um Feliz Natal replecto de muitas prendinhas, muito carinho e amor!!

09
Set 08

          Depois de termos passado um dia enfiados numa casa com um dia chuvoso, o grupo maravilha resolveu fazer um grande plano para o penúltimo dia de acampamento no Gerês! “E que tal irmos à Mina dos Carris?” Para mim tavam a falar chinês porque nunca tinha ouvido tal nome na minha vida, mas alinhei logo à primeira.

           Passamos no Centro de Informações lá no Gerês para termos mais informações sobre aquele trilho. Foi-nos informado que a caminhada demoraria quatro horas a caminhar até lá. Fiquei assustada porque nunca pensei que ia aguentar tanto tempo a caminhar, mas não ia temer antes de ir! Pessoal, tudo pronto? Então vamos nós...

 

          Na sexta de manhã acordamos antes do buzina ensurdecedora do padeiro, vestimos roupa confortável e calçamos calçado confortável; metemos à mochila umas boas sandes, uma maçã, uma banana, chocolate e água! Subimos até à Portela do Homem, estacionamos lá o carro e metemos botas no caminho!! Estava tudo preparado para fazer a tão longa caminhada!

          Depois de duas horas a caminhar, o cansaço já se notava. A verdade é que o piso era muito irregular e nós não tavamos a caminhar com o calçado mais apropriado para tal piso. Mas nada nos fez desistir daquela caminhada. Pela informação que a senhora do Centro de Informações nos deu, não tardaria muito a chegar! Subimos, subimos e subimos até que chegamos mesmo ao cimo da montanha e os nossos olhos não alcansavam nada de nada... Por momentos cheguei mesmo a pensar que já estavamos perdidos... Mas não! Quando menos esperamos, avistamos umas casas abandonadas só com os muros ao alto... Finalmente!! Chegámos... E uma linda paisagem esperava por nós!!


          A verdade é que fizemos a caminhada em três horas!!

  

         Digo-vos, nunca tinha imaginado que o Gerês fosse assim tão bonito, com lindas paisagens... Coisas que a Natureza faz inesplicávelmente: cascatas, quedas de água, os animais selvagens, aquelas formas esquesitas das rochas, a vegetação, os pinheiros bravos... LINDO!!


         É incrivel pensar como há pessoas que passam a vida a gabar as lindas paisagens de outros países. O nosso país também tem, basta ir à descoberta delas!! E eu aconselho todos a apertarem os cordões e a porem botas a caminho para descobrir este lindo trilho, não para ficarem a conhecer as ruínas da mina, mas sim pela linda paisagem que vos acompanhará até lá! Não se esqueçam também de visitar a linda lagoa que lá existe!


         A paixão foi tanta que brevemente faremos um novo trilho. Talvez o da Calcedónia! Depois conto-vos como foi...!


Avisos:

- O percurso durou seis hoas (três para lá e três para cá)

- Extensão cerca de 18 km

- É necessário comida simples e leve, água, roupa confortável e apropriada para a estação do ano que estiver a decorrer, calçado apropriado e confortável para grandes caminhadas, chapéu para o Sol

- Cuidado com os declives, buracos ou irregularidade do piso; caso seja verão, cuidado com os répteis que lá habitam.


Atenção: Depois de o mal estar feito, não há nada a fazer! Dias mais tarde soubemos que aquele trilho é proibido, ou seja, ninguém pode caminhar por lá por ser uma área protegida. Sendo assim, e segundo o que me disseram, é necessário uma autorização para poder caminhar por aquele trilho.

 

Boas caminhadas e até ao próximo trilho!    

 

 

 

 

 

publicado por hakunamatatadasoninha às 20:55
sinto-me: Aventureira/Montanhista
música: "Cores do Vento" - Pocahontas

Então???

E para quando são essas fotos?... Hum?

Beijinho
Paróquia de São Martinho de Brufe a 23 de Novembro de 2008 às 23:50

Meus caros...

Se lhe derem um Samoiedo, ela agradece!!!

loooool

Beijinho
Paróquia de São Martinho de Brufe a 24 de Novembro de 2008 às 21:54

Já era tempo de actualizares isto, não?!

Beijinho
Paróquia de São Martinho de Brufe a 1 de Setembro de 2009 às 19:19

Olá. Quero apenas comentar o que dizem em relação a ter cuidado com os répteis. Conheço bem todas as espécies de Portugal (são os meus animais favoritos). Os únicos com os quais têm que ter algum cuidado nessa local são as víboras-cornudas. São pequenas e são animais muito calmos e tímidos. Normalmente não se encontram no meio do trilho. Quando detectam a presença de uma pessoa, ou fogem ou ficam paradas e confiam na camuflagem. Só mordem como forma de defesa. É difícil encontrar uma. O que pode acontecer (mas é muito raro) é estar uma no meio do trilho e alguém não dar por ela e depois pisa-a sem querer. Nesse caso ela pode morder para se defender. Para evitar isto é aconselhável usar calçado fechado e calças. Se tiverem a sorte de encontrar uma apreciem o animal fascinante que é (podem observa-las com total segurança a cerca de 2 m de distância). Se estiver no meio do trilho podem pegar num ramo de árvore ou arbusto e desvia-la para fora do trilho. É uma espécie com o estatuto "vulnerável" em Portugal, e há cada vez menos. É provavelmente a serpente mais ameaçada da Península Ibérica. O culpado é o Homem pois destrói os seus habitats. É uma espécie protegida (é ilegal mata-las), tal como todas as espécies de répteis e anfíbios do nosso país. São muito importantes para nós pois ajudam a controlar as populações de ratos. Para as identificar: apresentam uma cor acinzentada ou acastanhada com uma banda escura ondulada ou em zig-zag ao longo do dorso. A cabeça está bastante diferenciada do corpo e tem uma forma triangular. O focinho é "arrebitado" parecendo um corno (em Portugal é a única espécie com esta característica). O corpo é largo (são "gordinhas" e a cauda curta. Medem no máximo uns 70 cm, mas a maioria anda entre os 30 e os 50 cm. Apresenta pupila vertical (em Portugal só as víboras apresentam esta característica). (Quando há mais hipóteses de observar víboras-cornudas no Gerês é em Setembro e Outubro e não no Verão. Os restantes répteis conseguem ver-se com mais facilidade geralmente na Primavera). Se tiverem a infelicidade de ser mordidos por uma mantenham a calma! É muito difícil uma pessoa morrer devido a uma mordedura desta espécie. Deve-se manter a calma e movimentar-se lentamente. Se o membro afectado for um braço então deve-se imobilizar à altura do peito. De seguida deve-se dirigir para o hospital mais próximo. Só se a pessoa for alérgica ao veneno, ou se for uma criança, idoso ou pessoa com problemas cardíacos é que poderá ser mais perigoso. Já tive a oportunidade de ver duas víboras-cornudas. Capturei e libertei uma delas (com luvas apropriadas). Infelizmente não consegui boas fotos... Fica para a próxima. Não se esqueçam que existem neste local mais espécies de serpente e que são inofensivas. Mais uma vez, se encontrarem uma víbora são uns sortudos! Aproveitem e tirem fotos (a uma distância segura). Ser quiserem ver fotos delas (e informarem-se melhor) visitem estas duas páginas (em espanhol):

http://www.sierradebaza.org/Fichas_fauna/00_Reptiles/09-02_hociduda/hocicuda.htm

http://anfibios-reptiles-andalucia.org/especies/foto.php?imagen=latastei&numero=1550

Se quiserem ver fotos tiradas por mim (de répteis e anfíbios): http://www.flickr.com/photos/marcocaetano

E se tiverem dúvidas, ou se tiverem algumas fotos de répteis e anfíbios e tiverem dúvidas sobre que espécie é enviem-me um mail para mcaetano2905@hotmail.com . Tenho o maior prazer em ensinar coisas sobre répteis e anfíbios às pessoas pois estes animais são vítimas de mitos (injustamente). Já ajudei várias pessoas a perder o medo de serpentes. Algumas delas até já pegaram em várias =) . Está na altura de as pessoas mudarem de mentalidade em relação a estes animais, antes que seja tarde de mais.

Fiquem bem.

Cumprimentos,

Marco Caetano
Marco Caetano a 27 de Agosto de 2010 às 16:02

Já me esquecia de dizer que gostei do que li aqui no blog sobre o Gerês. Quem lá vai fica sempre fascinado pela beleza das paisagens, animais e plantas, pela simpatia das pessoas. Enfim... Da primeira vez que lá fui, em 2007, fiquei "viciado"! Agora tenho ido lá todos os anos! E concordo com o que dizes sobre as pessoas do nosso país falarem muito da beleza de outros países, mas na realidade o nosso país não fica atrás! Eu também estou sempre a dizer isso, e dou sempre o exemplo do Gerês. Claro que há muitos outros lugares lindos e com paisagens diferentes em Portugal, mas o meu favorito é mesmo o Gerês. É triste as pessoas saberem mais sobre as paisagens de outros países do que do seu próprio país! E o mesmo acontece em relação aos animais: os portugueses sabem mais sobre leões, elefantes, pinguins e zebras do que sobre o lobo-ibérico, javali, lince, víbora-cornuda, víbora-de-seoane (esta espécie também existe no Parque Nacional da Peneda-Gerês, mas noutras zonas. No nosso país é muito mais rara do que a víbora-cornuda, e quase só existe no PNPG), rela-comum e lagarto-de-água (um animal lindíssimo! =D É fácil vê-los no Gerês. Os machos têm o corpo verde e cabeça azul. Vejam as fotos na minha página do flickr (o link está no meu anterior comentário)). Tanta coisa espectacular para ver aqui tão perto e a maioria das pessoas vai para outros países sem saber o que cá tem.

Fica bem.

Cumprimentos,

Marco Caetano
Marco Caetano a 27 de Agosto de 2010 às 16:36

Só mais uma coisa: dizes que essas paisagens e animais são coisas que a Natureza faz inexplicavelmente. Bem, a maioria delas já tem explicação =) . Encontro-me neste momento a acabar o curso de Biologia, e aprendi a explicação para muitas dessas coisas. Em relação às cascatas, bem, elas existem devido ao desnível do terreno. Depois quando lá passa a água temos aquelas fantásticas cascatas que adoramos ver =) . Fico sempre de boca aberta sempre que vou ao Gerês e vejo aquelas maravilhosas cascatas. Em relação aos animais, eles são assim devido a milhões de anos de evolução através da selecção natural e outros fenómenos (temos um pequeno exemplo disso nas raças de cães. Nesse caso somos nós o factor de selecção). Claro que é sempre fascinante ver todas as formas, cores e comportamentos que os animais têm e estuda-los (é por isso que estou em Biologia =) ). As formas das rochas também são lindas: há grandes rochedos em forma de lagarto, ave e tartaruga! Parecem mesmo esses animais. E foi a Natureza que fez. Acho lindo a Natureza, ao acaso, esculpir através do vento e da água enormes rochas, e o resultado são formas de animais que conhecemos. =) Já agora, os bosques de pinheiro bravo são lindos, mas tenho que dar aqui destaque aos bosques de carvalho. Um dos locais mais importantes do Gerês é a Mata de Albergaria, que no geral é uma grande floresta de carvalhos. É a maior floresta virgem (ou quase) de Portugal! É simplesmente linda! E os carvalhos são plantas autóctones do nosso país, que antigamente existiam em grandes florestas por todo o país e agora estão limitados a pequenas manchas... Em vez da nossa vegetação típica temos gigantescas monoculturas de eucalipto e pinheiro-bravo ou manso... Nessas zonas ocorrem muito poucas espécies vegetais e animais por não haver diversidade de árvores (e outras plantas) e no caso do eucalipto é também por ser uma árvore muito diferente das árvores do nosso país, e não ocorrem cá insectos que se alimentem deles... Se não há insectos não há aves insectívoras, nem lagartixas. E se não há estes animais também não há os animais que se alimentam deles...

Cumprimentos,

Marco Caetano
Marco Caetano a 27 de Agosto de 2010 às 16:54

boa noite encontrei esta informaçao ao acaso ja tem algum tempo. Era so para dizer e concordar consigo que, adoro o geres as suas paisagens , cascatas e tudo ate os animais rastejantes que encontramos muitas especies variadas. Ja la vao 20 anos de que nunca falhamos de visitas e descobrimentos. Quem for aventureiro como voçe nunca vai de deixar de visitar , explorar e recomendar. Mas e com muita pena minha que vejo mais as pessoas a procurarem outros destinos para ferias, embora nos dias de hoje havera mais turismo de hoteis e spas do que das belissimas paisagens que a natureza tem para oferecer . Quem conhece bem o geres nunca ira encontrar um lugar maravilhoso para ferias , claro so para quem gosta. Ainda nao realizei esta viagem as minas dos carris, embora todos os anos desejo la ir com filhos pequenos , mas no proximo irei . Boas caminhadas.
alexandra a 15 de Setembro de 2010 às 22:48

Boa tarde,

Ando ao tempo para fazer este trilho, já fiz até metade..mas depois fiquei com receio que deixasse de haver caminhos. Será que me podem dizer se é facil nos afastarmos do trilho e perdermos?

Obrigada
Rita a 6 de Outubro de 2010 às 17:33

Boa noite,

Alexandra, é fácil seguir o trilho, uma vez que está bem definido. Não me recordo de haver sinaléticas, mas na maior parte do percurso, é fácil prever o seguimento do trilho pelas caracteristicas do terreno.

Cumprimentos
João Pinheiro a 28 de Janeiro de 2011 às 02:06

O seu comentário aguarda moderação.

possuo a totalidade de uma aldeia abandonada desde 1974, no norte de Portugal, concelho de Montalegre, na serra do Barroso, junto ao parque Nacional Peneda do Gerês, com projecto de turismo de aldeia aprovado, PIP (Pedido de intervenção prévia) e parecer PIN (projecto de interesse Nacional) para a reconstrução de 22 casas e construção de 47 (Chalés) vivendas, diversos moinhos de água, diversos caminhos celtas e uma estrada celta/romana, deversas nascentes, minas de água, cascata, floresta de carvalhos, capela, eira, celeiro, palheiro, canastro, fonte mineira, fontanário, souto milenar, 66 hectares de terreno, 3, 18 hectares de área de construção, lameiros, terras campeiras, terras hotículas, etc.
Toda a propriedade privada é pertença da aldeia e encontra-se rodeada por centenas de hectares de baldios.
Procuro amigos da natureza que queiram recontrui-la comigo, fazer uma sociedade
contacto 224671004
Possuo fotos e documentos
sérgio a 29 de Março de 2012 às 17:20

Setembro 2008
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
10
11
12
13

14
15
16
17
18
19
20

21
22
23
24
25
26
27

28
29
30


arquivos
mais sobre mim
pesquisar neste blog
 
Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

blogs SAPO